2014, Ciências da Religião, dissertações

Igreja Universal do reino de Deus na África subsaariana: Implantação, expansão e transnacionalização

BOWANE, Adrien Gyato. Igreja Universal do reino de Deus na África subsaariana: Implantação, expansão e transnacionalização. Dissertação (Mestrado), Programa de Pós-graduação em Ciências da religião, Universidade Metodista de São Paulo, 2014.
Orientador: Leonildo Silveira Campos

Esse trabalho trata das estratégias de implantação e expansão da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) na África Subsaariana, tendo conta de crescimento acelerado do pentecostalismo no mundo e no contexto da transnacionalização religiosa. A IURD é uma Igreja neopentecostal brasileira que surgiu em 1977 e se expandiu em vários países do mundo. Ela está presente em 39 países da África subsaariana e se concentra nas grandes cidades. Vários fatores explicam o seu crescimento e expansão no continente africano, entre os quais o sincretismo, isto é, a capacidade de se adaptar à cultura africana. Outros fatores são: a visibilidade social (especialmente no uso da mídia e a assistência social), a política do segredo, a prática de exorcismo, o discurso da prosperidade, a relação de amizade e de parceria com governos africanos, a sua atitude anti-ecumênica e a adoção de uma organização episcopal. Aborda-se também nesse trabalho, o pentecostalismo e o neopentecostalismo na África, as Igrejas Independentes Africanas (IIA) e a presença do Cristianismo no continente africano desde os primórdios.

2017, Administração pública e do governo, teses

Igreja como partido: capacidade de coordenação eleitoral da Igreja Universal do Reino de Deus

NASCIMENTO, Claudia Cerqueira do. Igreja como partido: capacidade de coordenação eleitoral da Igreja Universal do Reino de Deus. Tese (Doutorado), Programa de Pós-graduação em Administração Pública e Governo, Fundação Getúlio Vargas, 2017.
Orientador: George Avelino Filho

Religião influencia voto? A participação dos evangélicos tem suscitado esta questão com cada vez mais intensidade. No âmbito acadêmico, cientistas sociais de diversas áreas têm se debruçado sobre este fenômeno para tentar compreender o chamado “voto evangélico”. Esta tese tem como objetivo contribuir com esta literatura ao tentar responder a seguinte pergunta: A Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) influencia o voto de seus fiéis? Ao associar o comportamento da igreja com o papel de um partido político, evidencio sua capacidade de coordenação ao analisar aspectos como organização interna, territorialidade e seu envolvimento com o PRB. Ao analisar estes aspectos, elaboro um modelo de brokerage da igreja e verifico sua validade. A fim de verificar a eficácia da coordenação exercida pela Igreja Universal, a análise empírica testa a seguinte hipótese: locais de votação mais próximos a um templo da IURD apresentam um incremento de voto no PRB. Para tanto, foi construído um banco original, onde constam dados sobre as igrejas e locais de votação geolocalizados nos municípios de São Paulo e Rio de Janeiro, além de resultados eleitorais entre o período de 2008 a 2016. Este estudo apresenta o primeiro teste empírico para verificar a associação estatística entre o brokerage da IURD e o vote share no PRB. De acordo com o resultado do teste aplicado, existe um efeito positivo no vote share do PRB em áreas de influência onde existe um templo da IURD; contudo, quando consideradas as características do eleitorado, este efeito se reduz – o que faz sentido, se considerarmos os múltiplos fatores que influenciam na tomada de decisão de um eleitor.

2017, Ciências da Religião, dissertações

O templo de Salomão

JECOV, Wilson Flavio. O templo de Salomão. Dissertação (Mestrado), Programa de Pós-graduação em Ciências da Religião, Universidade Metodista de São Paulo, 2017.
Orientador: Dario Paulo Barrera Rivera

O Templo de Salomão – o espaço religioso maior, construído pela IURD (Igreja Universal do Reino de Deus) em nossa cidade entre 2.010 e 2.014, é o objeto de nossas análises a partir da relação entre a Memória e a Religião, abrigando simultaneamente, o Lugar da Memória e a Memória do Lugar. Ora como Lugar da Memória da Religião desta instituição pentecostal contemporânea, ora como a Memória dos Lugares Religiosos, os espaços relacionados à cultura religiosa monoteísta abrahâmica (judaico-cristã), reproduzidos por ela no complexo do bairro do Brás: o tabernáculo do deserto, o Jardim das Oliveiras, o Memorial (Museu histórico cultural) e o templo de Salomão e o seu santuário. Excetuando o Tabernáculo do deserto, todos eles relacionados à cidade de Jerusalém que é conhecida como a cidade santa. Os nossos estudos combinaram duas metodologias: a pesquisa bibliográfica (teoria) relacionada com autores relacionados à Geografia, à Geografia da Religião, à Sociologia da Memória e da história da Igreja Universal, constituindo os dois conceitos importantes de nossas pesquisas: Memória da Religião e a Tradição Religiosa, pois ambos são produtos de nossa sociedade. E o nosso trabalho de campo (geográfico urbano), com visitas de caráter observatório a três espaços religiosos desta denominação : o Templo de Salomão (Brás), a catedral da Universal em São Caetano do Sul (centro) a Igreja comum localizada na periferia da Zona Leste (Vila Diva), e em outras denominações pertencentes ao pentecostalismo contemporâneo no Brás em torno do Templo de Salomão e em outros bairros da periferia na Zona Leste da cidade, percebendo o pluralismo pentecostal no campo religioso paulistano.

2017, Antropologia, teses

A reflexividade evangélica a partir da produção crítica e construção de projetos de vida na Igreja Universal do Reino de Deus

GUTIERREZ, Carlos Andrade Rivas. A reflexividade evangélica a partir da produção crítica e construção de projetos de vida na Igreja Universal do Reino de Deus. Tese (Doutorado), Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, Universidade Estadual de Campinas, 2017.
Orientador: Ronaldo de Almeida

A expansão das religiosidades evangélicas verifica-se não apenas nos dados no Censo, mas também em sua capacidade de mobilização e transformação no mundo da vida. A participação de atores sociais autodenominados evangélicos (ou assim classificados por terceiros) na política nacional é notória. A Frente Parlamentar Evangélica tornou-se uma das principais forças no Parlamento brasileiro e a governabilidade de qualquer presidente implica o apoio dessa bancada. Essa presença garantiu-lhes um lugar privilegiado em torno de grandes debates públicos como, por exemplo, casamento gay, criminalização da homofobia, aborto e descriminalização das drogas. Os embates com a comunidade LGBT e os movimentos feministas tornaram-se constantes e um consenso em torno de políticas relacionadas ao gênero parece longe do fim. Para além desse aspecto, diversas pesquisas vêm apontando a importância das religiosidades evangélicas no processo de ascensão social da “classe C” e seu papel na formação de uma “mentalidade empreendedora” nas periferias das grandes cidades. A tentativa da pesquisa é compreender esse cenário a partir da análise da reflexividade desses atores evangélicos, mais especificamente ligados à Igreja Universal, tomada aqui como estudo de caso. O estudo da “reflexividade evangélica” proposto aqui compreende tanto o julgamento e avaliação dos atores face a questões, situações e pessoas em torno de três temas escolhidos pela tese (política, empreendedorismo e gênero), quanto à elaboração de projetos existenciais e das conversações internas que realizam ao pensar a viabilidade de seus planos de ação em relação às condições objetivas em que se encontram. Por meio do estudo dessas conversações internas, pretendemos entender como esses atores constroem sua percepção de si e do mundo e a importância que atribuem à religiosidade nesse processo. A principal hipótese desse trabalho é que a exposição e necessidade de participação em diversos mundos de ação constitui uma exigência cada vez maior de reflexividade por parte dos evangélicos, com a necessidade de incorporação de novos saberes e competências que não estão disponíveis, a priori, no mundo religioso. A partir disso, a ruptura com a continuidade contextual tradicional religiosa promove transformações na percepção que esses atores têm da religiosidade. Concomitantemente, a adesão à religiosidade também produz uma ruptura no contexto de vida dos indivíduos das periferias das grandes cidades, promovendo um novo ciclo de reflexividade e produzindo mudanças no mundo da vida.