2014, artigos, Comunicação, dissertações

 As narrativas do Reino: Análise narrativa de programas televisivos da Igreja Universal nas madrugadas mineiras

SOUSA, Marco Túlio de. As narrativas do Reino: Análise narrativa de programas televisivos da Igreja Universal nas madrugadas mineiras. 2014. 186f. Dissertação (Mestrado) em Comunicação Social. Programa de Pós-graduação em Comunicação Social da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte (MG).
Este trabalho trata das narrativas religioso-midiáticas da Igreja Universal do Reino de Deus na Programação IURD mineira, que corresponde a um conjunto de programas televisivos veiculados diariamente pela Record Minas durante as madrugadas. Como recorte, escolhemos algumas edições do mês de julho de 2012, quando a igreja completou 35 anos de existência. Para desenvolver a análise, propomos uma triangulação teórica que contempla os conceitos de dispositivo, narrativa e experiência procurando perceber como estes se afetam mutuamente e se constituem nas suas interconexões. Tendo em vista este aparato conceitual, nosso objetivo consiste em olhar para a Programação IURD procurando identificar nos mundos que suas narrativas deixam ver possíveis pontos de força, de tensão, aspectos que ganham visibilidade, silenciamentos que emergem, bem como o público que se imagina atingir com as mesmas. Dessa forma, também pretendemos analisar o modo como a Universal se narra e por esta mediação narrativa se relaciona com os espectadores e com outros setores da sociedade.
Anúncios
2016, artigos, Educação, Sociologia

Religião e educação no Brasil: uma leitura em periódicos (2003-2013)

SETTON, Maria da Graça J.; VALENTE, Gabriela. Religião e educação no Brasil: uma leitura em periódicos (2003-2013). Cadernos de Pesquisa, vol.46, n.160, p.410-440, 2016.

O artigo faz uma análise de textos que estabelecem interface entre religião e educação das áreas da antropologia, educação, história e sociologia. A investigação se localiza entre 2003 e 2013, em periódicos de seletiva política editorial. A partir da leitura, considera-se o Brasil um país fortemente religioso, ainda que as religiões tradicionais tenham perdido espaço. Ademais, é perceptível que ambas as esferas estejam marcadas por uma tensão em que demandas de ordem secular e religiosa estão presentes, sobretudo no plano das identidades políticas e culturais. A religiosidade do brasileiro apresenta-se forte enquanto prática de cultura, sendo a fé, para muitos, um alento para os momentos de vazios institucionais e existenciais, bem como instrumento identitário.

[Acesso]

2015, Comunicação, Sociologia

O Sexto Sentido e a sexta-feira 13: narrativas da Igreja Universal em um programa televisivo da Rede Record em Portugal

SOUSA, Marco Túlio, RODRIGUES, Donizete. Sexto Sentido e a sexta-feira 13: narrativas da Igreja Universal em um programa televisivo da Rede Record em Portugal. Palabra Clave, vol. 18, n. 2, 563-587, jun. 2015.

Este trabalho tem como objetivo contribuir para um melhor entendimento sobre a participação da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) na mídia em Portugal e como essa denominação brasileira se relaciona com a sociedade portuguesa e com as suas especificidades religiosas. Para a análise foram selecionadas cinco edições do Sixth Sense (programa de tevê da IURD em Portugal), em que há referências à sexta-feira 13, data cheia de misticismo no catolicismo popular. Com base na teoria narrativa de Paul Ricoeur, foi realizada uma análise de conteúdo dos programas, na qual se descortinou a cosmologia dessa igreja neopentecostal: um “mundo” onde forças antagônicas, que representam o Bem e o Mal, lutam entre si para dominar/ salvar as pessoas; a magia e as religiões espiritualistas são os agentes dominadores malignos, enquanto a IURD é o agente do bem, da salvação.

[Acesso]

2016, artigos, Sociologia

Ação social de pentecostais e da Renovação Carismática Católica no Brasil. O discurso de seus líderes

MARIZ, Cecília Loreto. Ação social de pentecostais e da Renovação Carismática Católica no Brasil. O discurso de seus líderes. Revista Brasileira de Ciências Sociais vol.31, n.92, e319204, 2016.

Tematizando a relação religião e espaço público, esse artigo analisa operações discursivas de agentes religiosos em defesa de um protagonismo imprescindível das instituições e crenças religiosas em projetos públicos especificamente no trabalho social. A comparação de entrevistas com líderes pentecostais e da Renovação Carismática Católica identifica como a crescente fluência na gramática secular dessa liderança, historicamente a menos intelectualizada dentre as cristãs, a habilita a criticar o discurso moderno a partir de dentro. Focando nos limites da prática médica científica e do discurso racional na promoção humana, em geral, e especialmente na recuperação de dependentes químicos, os líderes defendem a maior competência da religião na realização nesse trabalho social e de saúde pública. O texto sugere ainda que pesquisas empíricas, como a descrita, são espaços, dentre outros, que fomentam a construção de articulações entre falas religiosas e seculares.

[Acesso]